Sobre a Cidade

Ilhéus

é um município brasileiro do estado da Bahia. É a cidade com o mais extenso litoral entre os municípios do estado. Ilhéus foi fundada em 1536 como “Vila de São Jorge de Ilhéus”, e elevada a cidade em 1881.[1] É conhecida por ambientar os romances de Jorge Amado, famoso escritor baiano, como Gabriela, Cravo e Canela e Terras do Sem Fim. É considerada a capital do cacau e denominada por seus habitantes como a “Princesinha do Sul”. Sua economia baseia-se na agricultura, turismo e indústrias. Já foi o primeiro produtor de cacau do mundo, mas, depois da enfermidade conhecida como vassoura-de-bruxa, que infestou as plantações, reduziu consideravelmente a sua produção. Conhecida também como “IOS”, sigla que respeita a grafia antiga do nome da cidade, “São Jorge dos Ilheos”, que é utilizada nos bilhetes de transporte aéreo.

Está entre as sete cidades mais populosas da Bahia (após Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Camaçari, Itabuna e Juazeiro).

Possui um produto interno bruto per capita que ultrapassa os 12 000 reais. Abriga um importante polo de informática do Estado, além de ser centro regional de serviços junto com Itabuna. Sedia o Aeroporto Jorge Amado, que é portão de entrada para destinos muito procurados, como Itacaré, Canavieiras, Ilha de Comandatuba, Itabuna e a própria cidade de Ilhéus.

História

Por volta do ano 1000, as tribos indígenas tapuias que habitavam a região foram expulsas para o interior do continente devido à chegada de povos tupis procedentes da Amazônia. No século XVI, quando chegaram os primeiros portugueses à região, a mesma era habitada pela tribo tupi dos tupiniquins.

No século XVI, com a descoberta do Brasil pelos portugueses, o rei português dom João III doou vasta extensão de terra com mil léguas de largura ao donatário Jorge de Figueiredo Correia, escrivão da corte real. Ainda que se falasse da terra as maiores maravilhas, o donatário da capitania preferiu o luxo e o fausto da corte, enviando o déspota espanhol Francisco Romero para representá-lo na administração da capitania, enfrentando e pacificando os índios tupiniquins. A carta da doação da Capitania de Ilhéus a Jorge de Figueiredo Correia foi assinada em Évora a 26 de junho de 1534.
Clique para ler a história completa.

Clima

Como a maioria das cidades do litoral sul-baiano, possui um clima tropical úmido com médias pluviométricas anuais entre 2 000 e 2 400 milímetros, com chuvas bem distribuídas ao longo do ano, sendo o verão o período de maior precipitação. Possui temperatura média compensada anual em tornos dos 25 °C, tendo, no período de inverno, média de 21 °C, com média das máximas de 26 °C e a das mínimas de 18 °C. Durante o verão, possui média de 26 °C, com médias máximas de 29 °C e mínimas de 22 °C.

Economia

Na agricultura, Ilhéus destaca-se como produtor de cacau. A piaçava e o dendê vêm ganhando bastante espaço atualmente. O cacau voltou a ser ainda mais fortalecido com as diversas ações por parte de produtores e empresários, a exemplo do Festival Internacional do Chocolate.

Na indústria, Ilhéus destaca-se em toda a Mesorregião do Sul Baiano por ser um polo de informática e contar com um distrito industrial onde estão instaladas diversas indústrias para manuseio e transformação do cacau.

Com alto índice de emprego, a cidade apresenta crescente desenvolvimento no comércio. O setor de serviços tem crescido consideravelmente destacando-se os ligados ao turismo e lazer tais como transportes, hospedagem, produção cultural e alimentação.

Distrito Industrial.

A economia ilheense deverá experimentar uma nova onda de progresso econômico com a implantação de um novo porto, o Porto Sul, instalado em águas profundas, e a chegada da ferrovia integrada ao Ferrovia Leste-Oeste. Também está prevista a construção de um aeroporto capaz de operar voos internacionais.

Educação

Nos últimos anos, as opções de cursos de nível superior apresentou um expressivo crescimento, com a oferta de novos cursos na rede pública estadual e federal tanto a nível técnico como a nível superior. Paralelamente, é marcante o crescimento da presença de novas instituições de ensino não públicas disponibilizando cursos presenciais e à distância nas mais diversas áreas de atuação profissional.

Transporte

No setor de transportes, Ilhéus apresenta a peculiaridade de ser a única cidade fora da Região Metropolitana de Salvador a contar com um aeroporto e um porto.

Ilhéus possui um aeroporto, Aeroporto Jorge Amado, administrado pela INFRAERO. Cinco grandes empresas aéreas operam na cidade: Avianca Brasil, Azul Linhas Aéreas, GOL Transportes Aéreos, TAM Linhas Aéreas operando voos regulares para Belo Horizonte (Confins), Brasília, Campinas,Salvador e São Paulo (Congonhas e Guarulhos). Além de voos em períodos sazonais para Recife, Vitória, Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão) e Goiânia.

O Porto de Ilhéus é o maior porto exportador de cacau do Brasil e o primeiro a ser construído em mar aberto no Brasil. Foi inaugurado em 1971, sendo administrado pela Companhia das Docas do Estado da Bahia. Também é ponto de passagem obrigatória de diversos roteiros de cruzeiros turísticos.

Além do transporte local, Ilhéus conta com uma rodoviária de onde partem ônibus intermunicipais e interestaduais. Há a previsão de construção do Complexo Intermodal, no município. Será um complexo na região norte da cidade, onde se localizarão o novo Aeroporto Internacional de Ilhéus e um novo Porto. O projeto também prevê a construção de uma ferrovia ligando Ilhéus ao estado de Tocantins, na região Norte do Brasil, a duplicação da BR-101 e a implantação de um gasoduto (Gasene)